Assim que o bebê nasce, as consultas com o pediatra tornam-se um compromisso inadiável.

Essa é uma rotina que se estende por muitos anos. Mas eles crescem muito rápido e, quando menos se espera, vem o questionamento: até que idade deve-se recorrer à consulta com pediatra?

A verdade é que, ao longo do tempo, uma sólida relação entre médico e paciente é desenvolvida, e ela pode ser um tanto difícil de se interromper. Se você ainda tem dúvidas se seu filho deveria, ou não, consultar-se com um pediatra, não deixe de ler este artigo.

Qual o papel de um pediatra?

O médico pediatra é muito importante para o desenvolvimento infantil. Ele é o profissional designado para cuidar de todas as fases de crescimento, prevenindo e diagnosticando doenças, sendo elas congênitas ou não.

Para que seu trabalho possa ser prestado com sucesso, é importante que a criança ou o adolescente o veja como uma pessoa próxima a fim de aumentar as chances de adesão aos possíveis tratamentos.

As consultas pediátricas regulares podem ser grandes aliadas no diagnóstico precoce de doenças, além de garantir mais segurança para pais e mães a cada nova fase do desenvolvimento de seus filhos.

Qual a idade ideal para deixar de ter consultas pediátricas?

Por ser uma especialidade médica bastante ampla, pode ser que seu filho não precise de nenhum outro médico por muitos anos. Recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria indicam que pediatras podem tratar de jovens de até 18 anos de idade.

Já em outros países, esse limite pode ser estendido por mais tempo. De acordo com o Conselho Americano da Prática Pediátrica, por exemplo, é possível que o atendimento seja realizado até que o paciente complete 21 anos de idade. Essa recomendação corrobora os parâmetros da Organização Mundial da Saúde, que estabelece como adolescentes os indivíduos que têm entre 10 e 20 anos.

Com qual frequência deve-se consultar um pediatra?

Por que é importante levar a criança a consultas com pediatra, você já sabe, mas e sobre a regularidade das consultas? Ela também é essencial para que o acompanhamento seja realizado de maneira efetiva.

As consultas pediátricas devem começar ainda na primeira semana de vida e continuar mensalmente até o segundo ano. Então, as consultas podem ser feitas a cada três meses e, dos dois até os seis anos de idade, ela pode acontecer de maneira semestral.

Depois dos seis anos, até sua última consulta, basta que ela aconteça ao menos uma vez por ano.

Conheça a hebiatria

Conforme vão crescendo, pacientes passam a ter necessidades diferentes e, consequentemente, o tratamento precisa ser adaptado. A hebiatria, portanto, é uma subespecialidade pediátrica focada na saúde do adolescente.

O hebiatra poderá auxiliar adolescentes em questões relacionadas à puberdade, saúde sexual e todas as particularidades emocionais que acompanham essa fase. Esse profissional, portanto, pode prolongar o tempo que um paciente adolescente é acompanhado pela especialidade pediátrica.

Entenda o que perguntar durante a primeira consulta: “Quais perguntas você deve fazer na primeira consulta com o pediatra?”.

Como garantir consultas pediátricas a preços populares?

Como observamos durante o texto, consultas pediátricas precisam ser regulares para garantir o crescimento adequado. Para pais que não contam com planos de saúde, esse pode ser um peso financeiro considerável.

Felizmente, o Clude, uma plataforma voltada à saúde preventiva, pode oferecer consultas com pediatras baratos, sem burocracias e sem longas filas de espera.

Não dependa da fila do SUS. A alternativa para quem não tem plano de saúde está no Clude, onde assinantes têm acesso a orientação médica 24 horas, todos os dias da semana, além de contar com descontos em milhares de farmácias pelo Brasil.

Acesse nosso site e veja como pode ser fácil cuidar da sua saúde e da saúde dos seus filhos com apenas uma assinatura!