Também conhecida como gastroplastia, a cirurgia bariátrica refere-se a um tipo de procedimento cirúrgico que tem como objetivo reduzir o estômago. Com a diminuição desse órgão, o paciente se sente saciado mais rapidamente, tendo em vista que determinados hormônios relacionados à saciedade – como grelina, colecistocinina, leptina e polipeptídio – sofrem alterações após a cirurgia.

Isso ocorre porque esses hormônios são liberados no organismo no momento em que o alimento entra em contato com o estômago e, como a área de contato desse órgão foi reduzida, logo ele é preenchido por completo.

Além disso, como as paredes internas do estômago responsáveis por absorver nutrientes são diminuídas, sejam eles bons ou não à saúde, há menor assimilação de componentes que contribuem para o aumento de peso.

Se você se interessou por esse procedimento e deseja saber mais sobre o assunto, veja como é feita a cirurgia, como é o pós-operatório, quais são os riscos associados, para qual público é indicada e como obter desconto para cirurgia bariátrica.

Como é feita a cirurgia bariátrica?

O primeiro passo para a realização da cirurgia bariátrica é fazer uma série de exames, que servem para que o médico verifique qual a origem do sobrepeso, se o paciente se encaixa no perfil indicado e se apresenta algum problema que deva ser tratado antes do procedimento.

Além disso, o paciente deve passar por uma avaliação psicológica, uma vez que precisará substituir velhos hábitos – como compulsão alimentar, dieta inadequada e sedentarismo – por novos, o que pode causar estresse, ansiedade e até mesmo depressão.

Vale destacar, ainda, que o paciente deve ter consciência desde o início de que a cirurgia irá mudá-lo fisicamente, visto que a ausência desse compreendimento pode levá-lo a uma crise de identidade e alterações psicológicas. Por isso, o acompanhamento psicológico no pré e pós-operatório é fundamental.

Caso o paciente esteja apto para realizar o procedimento, o cirurgião irá avaliar o método mais indicado, sendo eles:

  • banda gástrica: método menos invasivo no qual o estômago é envolto por uma banda em formato de anel que diminui o seu tamanho;
  • bypass gástrico: método mais invasivo que consiste na remoção de grande parte do estômago. O remanescente é ligado ao intestino;
  • gastrectomia vertical: também conhecida como cirurgia de sleeve, refere-se ao método de remoção do estômago preservando o ligamento natural entre estômago e intestino;
  • derivação biliopancreática: método que remove concomitantemente parte do estômago e parte do intestino delgado, as quais são responsáveis pela absorção de nutrientes.

Caso haja excesso de pele, é realizada uma cirurgia plástica reparadora. Concluída a cirurgia bariátrica, o estômago passa a ter uma capacidade de 25 ml a 200 ml.

Como é o pós-operatório da cirurgia bariátrica?

Inicialmente, o paciente deverá ingerir apenas alimentos líquidos, passando gradualmente para os pastosos e sólidos. Como o estômago estará menor, mas ainda é necessário beber no mínimo 2 litros de água por dia, o paciente deve consumir 50 ml de água a cada 30 minutos.

Nos primeiros dias, é indicado que o paciente não faça nenhum tipo de esforço, mas mantenha-se ativo realizando caminhadas não muito longas. 

Por fim, vale ressaltar que não basta apenas fazer a cirurgia bariátrica para emagrecer, é preciso adotar uma dieta equilibrada e realizar exercícios físicos. Por isso, após o procedimento, é preciso contar com o auxílio de uma equipe multidisciplinar composta por nutricionista, psicólogo e personal trainer, por exemplo.

Quais são os riscos da cirurgia bariátrica?

Os riscos existem, em grande parte, devido à quantidade e gravidade das doenças associadas ao excesso de peso apresentadas pelo paciente, sendo eles:

  • embolia pulmonar;
  • hemorragia interna no local da operação;
  • fístulas;
  • náusea, vômito, diarreia e fezes com sangue.

Como mencionado previamente, as paredes internas do estômago são responsáveis pela absorção de nutrientes. Por conta disso, a redução do órgão não contribui apenas para a má absorção de compostos nutricionais prejudiciais à saúde, mas também daqueles benéficos, resultando em um quadro de desnutrição. Devido a esses fatores, é imprescindível realizar os exames iniciais solicitados pelo cirurgião.

Por último, outro risco associado à cirurgia bariátrica é o descumprimento das orientações médicas, como ingestão excessiva de alimentos, o que pode causar o rompimento da sutura por conta da pressão no estômago.

Quem pode realizar a cirurgia bariátrica?

Esse tipo de procedimento cirúrgico é recomendado para pessoas com obesidade acima do grau II e que não apresentaram resultados satisfatórios apenas com uma dieta balanceada e prática de exercícios físicos regularmente.

Além disso, de acordo com Ministério da Saúde, a cirurgia bariátrica não é recomendada para pessoas que possuem algum transtorno psiquiátrico não controlado, doença cardiopulmonar grave, doenças genéticas, Síndrome de Cushing, tumores endócrinos ou não disponham de suporte familiar.

Como obter desconto para cirurgia bariátrica?

Se você não possui plano de saúde e deseja realizar uma cirurgia bariátrica, o Clude tem a solução! Com o cartão de saúde 360°, você tem acesso a descontos para cirurgia bariátrica, exames e consultas com médicos, psicólogos e nutricionistas, além de programas gratuitos de reeducação alimentar e exercícios online. E então, o que você está esperando? Acesso o site e confira!