Quando pensamos em ir ao médico, sempre temos aquele questionamento: “Devo procurar por qual especialista?”. Porém, o que muitas pessoas não sabem é que, muitas vezes, o médico adequado para tratar dos seus problemas de saúde é o clínico geral. Esse profissional atua de maneira mais abrangente em relação ao corpo humano, o que permite que ele trate diversos tipos de doenças que não demandam o atendimento de um especialista.

O médico especialista, por sua vez, realiza um atendimento totalmente direcionado a alguma área do corpo humano. Esse é o caso dos oftalmologistas, dermatologistas, ginecologistas, entre outros. Essas especialidades precisam de uma formação específica, a clínica geral, que é tão importante quanto as demais áreas da medicina.

Veja, neste post, tudo o que você deve saber antes de escolher o clínico geral ou o especialista para cuidar de algum aspecto da sua saúde. Acompanhe!

Funções do atendimento do clínico geral

O clínico geral realiza dois papéis fundamentais na vida dos pacientes. O primeiro é o encaminhamento para especialistas. Muitas vezes, não sabemos exatamente o que causa determinado problema de saúde, de modo que o médico generalista pode fazer uma avaliação dos sintomas e, se for preciso, encaminhar-nos ao médico especialista.

O segundo papel fundamental do clínico geral está voltado ao atendimento direto aos pacientes, que contempla o atendimento e tratamento de todas as doenças de cunho não cirúrgico, que não tenham a ver com obstetrícia e ginecologia. Além disso, o clínico geral não atende crianças, apenas adultos. Quem cuida desse tipo de atendimento é o especialista em pediatria.

Além disso, o clínico geral está apto a solicitar exames e posteriormente interpretá-los, prescrever medicamentos, diagnosticar pacientes, entre outras funções inerentes à atividade da medicina. Todas essas atividades são realizadas pelo clínico geral com propriedade, pois estão dentro do ciclo de sua formação como médico.

Diferenças entre o clínico geral e o especialista

Existem algumas diferenças-chave para entendermos a atuação do clínico geral e do especialista. A primeira delas é a questão da residência. Quando uma pessoa faz uma graduação em medicina, que atualmente dura em torno de 6 anos, ela termina a faculdade e emite o seu CRM. Com ele, essa pessoa se torna um médico.

A partir daí, existem duas opções: ou o profissional atua como clínico geral, o que já lhe é permitido assim que emite seu CRM ao sair da faculdade, ou faz uma residência. Essa residência é como se fosse uma continuação da faculdade, em que o profissional vai aprender tudo para se tornar um especialista na área de sua escolha, como ginecologia, neurologia e cardiologia, por exemplo.

Dessa forma, em uma versão resumida, o clínico geral atua de maneira abrangente e não possui especialização em nenhuma área específica. Já o especialista se capacita e fica apto a tratar de uma parte específica do corpo humano com muito mais conhecimento. 

É válido lembrar que o clínico geral pode fazer uma especialização para atuar como generalista e ficar ainda melhor na área de clínica geral.

Quando optar por um clínico geral

O clínico geral é o profissional mais recomendado para quando você não sabe exatamente qual problema de saúde está lhe acometendo. Ele também pode ser considerado uma excelente escolha se você sabe o que tem e não é preciso do acompanhamento de um especialista para fazer o tratamento, como é o caso dos níveis mais leves de diabetes, gastrite, entre outras doenças semelhantes.

Saiba mais: Como o clínico geral pode te ajudar em um atendimento médico

Veja como atua o Clude

O Clude é uma excelente alternativa ao plano de saúde no Brasil. Em sua plataforma, é possível encontrar um clínico geral de alta capacidade técnica por preços acessíveis. Além de prover o acesso a um clínico geral barato, o Clude também conta com descontos de até 60% em farmácias de todo o país. Entre no site e conheça os planos disponíveis!

Veja ainda: O que perguntar durante uma consulta com o clínico geral