O obstetra é o médico especializado em obstetrícia, ou seja, é o profissional responsável por acompanhar a mulher durante a gestação, desde o pré-natal até o pós-parto. Além de realizar a avaliação, o obstetra é capaz de diagnosticar e tratar possíveis distúrbios que venha a identificar.

Diferença entre obstetrícia e ginecologia

A obstetrícia é o ramo da medicina responsável especificamente por acompanhar a mulher durante a gravidez, orientá-la e diagnosticar e tratar possíveis distúrbios que venham a ocorrer.

Já a ginecologia é o ramo da medicina responsável por atuar na prevenção, diagnóstico e tratamento de problemas que possam comprometer o sistema reprodutor feminino, desde a puberdade até o climatério – período que compreende a menopausa –, com exceção do período gestacional.

Isso porque o profissional que acompanha a gravidez deve entender sobre o sistema reprodutor feminino e o desenvolvimento do bebê dentro desse sistema.

Comumente, vemos profissionais especializados em ginecologia e obstetrícia, mas a dupla titulação não é obrigatória, sendo possível se especializar apenas em ginecologia ou apenas em obstetrícia.

Contudo, muitos profissionais optam pela dupla titulação, pois há pós-graduações que abrangem ambas as áreas, ampliando as possibilidades de atuação profissional.

Por que consultar o obstetra?

Mulheres que apresentaram problemas em uma gestação anterior, com alto ou baixo índice de massa corporal, que estão na fase da adolescência ou têm mais de 35 anos possuem características que podem resultar em uma gravidez de alto risco.

Vale destacar, ainda, que mulheres diagnosticadas com hipertensão arterial, diabetes, doenças renais, insuficiência cardíaca, anemia falciforme ou alguma doença sexualmente transmissível também podem apresentar complicações durante a gestação.

Além disso, podem ocorrer anomalias reprodutivas durante o período gestacional, como problemas com o líquido amniótico, gravidez ectópica (que ocorre fora do útero), pré-eclâmpsia (elevação da pressão arterial durante a gestação), incompatibilidade sanguínea, diabetes gestacional e anomalias cromossômicas no feto, que devem ser diagnosticadas e tratadas rapidamente, a fim de não colocar a saúde da mãe e do bebê sob risco.

Quando consultar o obstetra?

É recomendado consultar o obstetra quando a mulher pretender engravidar ou verificar que está grávida, a fim de verificar se há possibilidade de manter uma gestação e receber as orientações iniciais necessárias para planejar os próximos passos.

Como é a consulta com o obstetra?

Como o obstetra é responsável por acompanhar toda a gravidez, ocorrem diversas consultas ao longo desse período. Na primeira consulta com o obstetra, ele irá avaliar seu peso, altura, pressão arterial, tamanho e posição do útero, se há alguma anomalia pélvica, a mama, o abdômen e os membros superiores e inferiores, bem como verificar a data da última menstruação, a ficha de vacinação e se a paciente faz uso de algum medicamento de uso contínuo.

Logo em seguida, o obstetra pode solicitar exames, como:

  • hemograma completo;
  • sorologia para doenças sexualmente transmissíveis;
  • tipagem sanguínea;
  • urina;
  • papanicolau;
  • dosagem de hormônios da tireoide;
  • glicemia de jejum;
  • sorologia para toxoplasmose.

A partir dos exames clínicos e laboratoriais, o médico poderá definir a idade gestacional, verificar se há risco na gravidez e a data provável do parto. Além disso, o obstetra orientará a paciente sobre os cuidados necessários durante esse período, sintomas comuns e incomuns e agendar as próximas consultas, as quais devem ocorrer uma vez ao mês até 28ª semana de gestação, quinzenalmente entre a 28ª e a 36ª de gestação e semanalmente a partir da 37ª semana de gestação.

Ao longo desse período, a gestante deverá realizar uma série de ultrassonografias para avaliar o andamento da gestação. 

O primeiro exame deve ser realizado entre a 6ª e 10ª semana de gestação, sendo a 8ª a mais indicada. Por meio desse ultrassom, já é possível escutar os batimentos cardíacos do bebê, verificar se a gestação é tópica (ocorre no útero) ou ectópica (ocorre fora do útero e apresenta riscos), se é uma gestação gemelar e prever com maior precisão a data provável do parto.

Entre a 11ª e a 13ª semana e 6 dias de gestação, é realizada a ultrassonografia morfológica, a qual é responsável por verificar se há anomalias cromossômicas, malformações ou síndromes genéticas.

É importante também realizar esse mesmo exame novamente entre 20ª e 24ª semana de gestação, pois nesse período é possível verificar com mais clareza as estruturas corporais do bebê e até mesmo doppler das artérias uterinas e umbilicais, a fim de identificar a oxigenação no útero.

Podem ser realizadas mais ultrassonografias, dependendo do risco que a gravidez apresenta ou surgimento de algum sintoma não esperado.

Com o Clude você consegue desconto em consulta com o obstetra

Se você pretende engravidar, mas está postergando esse sonho por não possuir plano de saúde, o Clude pode ajudar você. Ao contratar o cartão de saúde 360°, você tem acesso a exames e atendimento médico com desconto a partir de R$ 39,90 por mês.