Desde que o Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamentou a telemedicina, ainda no início de 2020, por meio da Resolução nº 2.227/18, médicos e pacientes de todo o Brasil passaram a aproveitar as facilidades da medicina remota.

Uma das práticas médicas que mais se beneficiou desse novo modelo foi, certamente, a psicologia. 

Como uma especialidade que não exige que psicólogo e paciente estejam no mesmo cômodo na hora do atendimento, a regulamentação da telemedicina abriu um mundo de oportunidades e popularizou essa prática tão necessária, principalmente nos dias atuais. 

A seguir, falaremos sobre os principais benefícios do acompanhamento com psicólogos por meio da medicina remota. Não deixe de conferir.

Psicólogo por teleconsulta: o que muda? 

Uma teleconsulta acontece quando o contato entre profissional e paciente ocorre em ambientes virtuais, à distância, utilizando plataformas de videoconferência. Ainda existe, no entanto, uma noção muito enraizada no imaginário popular de que nada é melhor do que o “olho no olho” quando o assunto é atendimento psicológico.

Um estudo promovido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no entanto, prova o contrário.

Durante os meses de junho e novembro de 2012, a pesquisa analisou o tratamento de 24 pacientes, sendo metade atendida por psicólogos presencialmente e a outra metade, de maneira remota.

Após dois anos, a comparação de resultados não mostrou diferenças significativas entre a terapia online e a presencial. O empenho do profissional, portanto, é exatamente o mesmo, resultando nos mesmos benefícios da consulta convencional.

Leia também: O que você precisa saber sobre a primeira consulta com psicólogo?

Quais os benefícios de uma teleconsulta com psicólogo?

Ainda que, em sua essência, a consulta remota não se diferencie de uma consulta convencional, a prática da telemedicina pode trazer diversos benefícios extras, tanto para os profissionais quanto para os pacientes.

Entenda melhor a seguir.

Democratização do acesso

O número de pessoas com depressão aumentou 18,4% nos últimos dez anos segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Mais do que nunca, o acompanhamento psicológico é uma questão de saúde pública.

Muitos pacientes, no entanto, não tinham acesso a profissionais em sua região, seja por dificuldades de mobilidade, escassez de profissionais ou outro fator.

Com a telemedicina, o acesso a esse tratamento é cada vez mais popularizado, já que as barreiras geográficas não mais importam. 

Redução de custos

A prática da telemedicina também é mais barata, tanto para profissionais quanto para os pacientes. Esse também é um aspecto que contribui para a sua popularização. 

Dessa maneira, pacientes não precisam gastar tempo e dinheiro com deslocamento, enquanto psicólogos podem fazer atendimentos diretamente de suas casas, o que diminui os custos da consulta.

Comodidade para psicólogos e pacientes

Com uma rotina agitada, é comum que pacientes tenham a tendência de negligenciar o atendimento com psicólogos. Por vezes, o consultório pode ser longe de seu trajeto normal ou o atendimento pode ocorrer em horários que coincidem com outros compromissos.

Com a telemedicina, no entanto, as consultas podem ocorrer em horários flexíveis, garantindo mais comodidade para todos envolvidos.

Leia também: Quando é importante procurar um psicólogo?

Onde encontrar um psicólogo a preço popular?

O cuidado com a saúde mental é extremamente importante. Consultas com psicólogos, infelizmente, ainda são caras e a alternativa para quem não tem plano de saúde pode ser, muitas vezes, aguardar pelo atendimento no SUS.

Entretanto, o Clude veio para mudar isso. Assinantes da plataforma de saúde preventiva têm acesso a consultas com psicólogo a preço popular – a partir de  R$ 35 –  podendo fazer um acompanhamento mais completo, sem comprometer o orçamento familiar. 

Aqueles que preferirem as consultas presenciais podem contar com a rede credenciada do Clude para receberem o atendimento que precisam. Nós temos uma solução para o seu problema! Acesse nosso site e conheça nossos planos.