Como um esforço para conter o avanço do contágio do novo coronavírus na população, as medidas restritivas de circulação e diminuição do contato social mantiveram boa parte das pessoas em casa por longos períodos no decorrer deste ano.

Apesar de protegerem a população contra um vírus letal, que ainda não tem cura ou vacina, essas restrições causaram problemas em outros âmbitos da saúde pública, principalmente no que diz respeito à vacinação. 

Muitos optaram por não se dirigirem aos postos médicos, deixando de comparecer a datas importantes para a imunização da população. A seguir, elencamos algumas das razões pelas quais tomar vacinas é importante, mesmo durante a pandemia. 

Por que tomar vacinas regularmente é importante? 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mesmo uma interrupção breve no calendário de vacinações pode aumentar, e muito, as chances de que doenças erradicadas e já controladas voltem a assolar a população. 

Tal cenário, infelizmente, não está apenas no campo hipotético. O Brasil, por exemplo, detinha, no ano de 2016, o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo. Já em 2019, com o avanço da doença em solo brasileiro, o país perdeu essa certificação, que é concedida pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Negligenciar a vacinação, portanto, pode gerar surtos imprevisíveis de diversas patologias, sobrecarregando ainda mais um sistema de saúde que já encontra dificuldades para absorver as demandas de leitos necessários para pacientes acometidos pelo novo coronavírus. 

Qual a melhor forma de imunizar em meio à pandemia? 

O serviço de aplicação de vacinas nunca foi paralisado, mesmo durante o pico da pandemia, uma vez que esse é um serviço essencial. Portanto, para aqueles que desejam colocar suas carteiras de vacinação em dia, basta dirigir-se ao posto de saúde mais próximo. 

Crianças, quando não vacinadas corretamente, podem colocar a saúde de muitos outros indivíduos em risco, principalmente quando escolas e creches voltarem a funcionar. Adultos e adolescentes também não podem deixar de tomar as vacinas de reforço para a meningite, uma vez que a doença pode ser transmitida mesmo que o portador esteja assintomático. 

Lembre-se sempre que durante a vacinação, assim como qualquer outra atividade em público, as medidas de distanciamento e o uso de máscaras são práticas obrigatórias até que a vacina responsável pela imunização contra o vírus causador da covid-19 seja desenvolvida. 

Acompanhamento médico e a imunização

O auxílio de um profissional da medicina é essencial para a conscientização quanto à importância da vacinação. Apesar disso, conseguir um atendimento, seja de um clínico geral ou de um especialista, pode ser muito mais difícil para pacientes que não contam com plano de saúde. 

Boa parte desse problema deve-se à média de espera na fila do SUS para atendimento médico, que é de quatro meses a um ano segundo levantamento da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). 

Portanto, qual a alternativa para quem não tem plano de saúde? 

Quando o assunto é saúde, todo cuidado é pouco. Aqueles que querem contar com orientação médica em tempo integral, assim como inúmeros outros benefícios, agora têm uma alternativa viável: o Clude. 

Assinantes da plataforma possuem acesso a consultas com clínicos gerais e médicos especialistas a preços populares sem precisar enfrentar a média de espera na fila do SUS para atendimento médico

O Clude também oferece descontos de até 60% em mais de 26.000 farmácias, além de cupons para compras em 4 mil restaurantes e mais de 180 lojas por todo o Brasil. Acesse nosso site e conheça esse novo jeito de cuidar da sua saúde e da saúde da sua família.