As doenças de estômago são diagnosticadas e tratadas pelo gastroenterologista, médico especialista no sistema gastrointestinal, o qual compreende todas as estruturas localizadas desde a boca até o anus.

Pesquisas apontam que uma significativa parcela da população brasileira apresenta algum problema gástrico. Por conta disso, o post de hoje irá apresentar as principais doenças que acometem o estômago, suas causas, os sintomas mais comuns e como tratá-las, a fim de que você saiba quando realizar uma consulta com o gastroenterologista. Acompanhe!

Principais doenças diagnosticadas na consulta com gastroenterologista

1. Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico é um problema causado pelo mau funcionamento do esfíncter, uma espécie de válvula localizada entre o esôfago e o estômago responsável por impedir que o conteúdo gástrico retorne em direção à boca.

Ao chegar ao estômago, esse conteúdo se mistura ao suco gástrico – o qual é ácido –, causando lesões ou até perfurações no esôfago, que, diferentemente do estômago, não é revestido por uma mucosa que protege as paredes internas do órgão. 

Até o momento não foi identificada a causa exata do refluxo gastroesofágico, mas foram verificados alguns fatores de riscos, como, por exemplo:

  • dieta rica em gorduras ou alimentos que relaxam o esfíncter;
  • idade igual ou superior a 50 anos;
  • uso de tabaco;
  • consumo excessivo de álcool;
  • gravidez;
  • determinados medicamentos;
  • estresse.

Dentre os principais sintomas associados ao refluxo gastroesofágico, podemos citar:

  • queimação entre a garganta e o estômago;
  • indigestão;
  • tosse seca;
  • regurgitação do bolo alimentar.

Ao consultar o gastroenterologista, ele irá recomendar alguns dos seguintes tratamentos:

  • mudança dos hábitos alimentares;
  • alterações no estilo de vida (fumar, consumo de bebidas alcoólicas);
  • administração de medicamentos (antiácidos, inibidores da produção de ácido, aceleradores do esvaziamento gástrico, protetores gástricos);
  • cirurgia para reforçar o esfíncter, caso as recomendações acima não sejam suficientes.

2. Gastrite

A gastrite corresponde à inflamação da mucosa do estômago, a qual é responsável por protegê-lo do suco gástrico. A maior causa desse problema é a ingestão de alimentos ou água contaminada pela bactéria Helicobacter pylori.

Esse micro-organismo, o qual se aloja entre a mucosa e o estômago, libera uma substância capaz de alterar o pH do muco – que é alcalino –, fazendo com que ele não consiga neutralizar o suco gástrico. Assim, o suco gástrico entra em contato com a parede interna do estômago, lesionando-a.  

Além da H. pylori, o surgimento da gastrite pode estar relacionado à má alimentação, uso excessivo de determinados medicamentos, consumo exagerado de álcool, uso de tabaco e até mesmo alta carga de estresse.

Os principais sintomas associados à gastrite incluem:

  • sensação de queimação no estômago;
  • dor de estômago;
  • náusea;
  • perda de apetite;
  • perda de peso.

Caso você seja diagnosticado com infecção por H pylori, o tratamento irá consistir em administração de antibióticos para combater a bactéria e medicamentos que reduzem a produção de suco gástrico, bem como mudança na dieta até concluir o tratamento.

3. Úlcera

A úlcera é um estágio avançado da gastrite, tendo em vista que se desenvolve a partir do contato contínuo do suco gástrico com a parede do estômago, formando uma ferida.

A diferença entre a gastrite e a úlcera é que, na última, a ferida já está próxima de evoluir para uma perfuração completa do estômago, fazendo com que o ácido gástrico danifique outros órgãos, o que causa hemorragia, resultando na presença de sangue nas fezes.

A úlcera desencadeia os seguintes sintomas:

  • inchaço no estômago;
  • náusea;
  • vômito;
  • dor e queimação na garganta ou no peito;
  • perda de peso sem razão aparente;
  • fezes muito escuras ou avermelhadas.

Caso você seja diagnosticado com úlcera, o gastroenterologista irá recomendar o mesmo tratamento indicado para gastrite e, caso o problema se encontre em estado avançado, é recomendada a cirurgia.

4. Pancreatite

A pancreatite corresponde à inflamação do pâncreas, glândula responsável por produzir diversas substâncias que auxiliam no processo digestivo, incluindo o suco gástrico. Determinados fatores podem desencadear o mau funcionamento do pâncreas e fazer com que as substâncias sintetizadas entrem em contato com a própria glândula, lesionando-as.

A pancreatite pode ser causada por:

  • consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • pedra na vesícula;
  • doenças autoimunes;
  • alta concentração de cálcio no sangue;
  • câncer no pâncreas;
  • uso excessivo de determinados medicamentos;
  • infecções virais.

O sintomas comumente associados à pancreatite são:

  • dor e inchaço na barriga;
  • náusea;
  • vômito;
  • barriga inchada;
  • fezes amareladas ou brancas;
  • perda de peso sem motivo aparente;
  • desnutrição.

O tratamento recomendado durante a consulta com o gastroenterologista dependerá da gravidade da inflamação. Geralmente, o médico indica administração de medicamentos para reduzir a dor e para auxiliar na digestão das refeições, alterações na dieta até o término do tratamento e, se necessário, uso de antibióticos.

Como conseguir desconto em exames e consultas médicas?

Se, ao concluir a leitura deste post, perceber que você ou um familiar apresenta sintomas relacionados a algum problema gastrointestinal, mas não possuem plano nem desejam recorrer à rede pública de saúde, saiba que é possível contar com o Clude.

Há planos individuais de R$ 39,90 e familiares por R$ 49,90 por mês. Com o cartão de saúde 360° do Clude, você tem acesso a descontos em exames, medicamentos, consultas com o gastroenterologista e muito mais. Venha conhecer!