industrializados-na-infancia
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

O consumo de alimentos industrializados na infância

O grande problema dos alimentos industrializados é que eles passam por diversos processos e mascaram em sua composição uma alta quantidade de açúcar, sódio, gorduras e conservantes. Os alimentos industrializados são:  biscoitos, refrigerantes, salgadinhos, sorvetes, embutidos, enlatados, dentre outros que ocupam essa classificação.  

Cada vez mais, os pais optam por esses alimentos industrializados por trazerem mais praticidade e facilidade de consumo no dia a dia. No entanto, é preciso atentar-se principalmente sobre as quantidades e frequência, até porque o seu alto consumo está associado ao desenvolvimento de doenças tanto na infância quanto na vida adulta. 

Nos primeiros anos de vida não é recomendado ofertar alimentos industrializados, pois são alimentos mais pobres em nutrientes e, para mantê-los conservados, a indústria adiciona diversos aditivos que são prejudiciais à saúde, fazendo com que os mesmos durem por um longo período nas prateleiras. 

Esses aditivos alimentares podem causar reações no organismo da criança como alergias, alterações no comportamento alimentar e até impactar no sistema nervoso central. 

Alimentos ultraprocessados, por conterem uma alta quantidade de açúcar, de sódio e de gordura, tornam-se palatáveis e, de certa forma, acabam se tornando viciantes ao paladar da criança, dificultado ainda mais na redução do seu consumo. Consequentemente, são alimentos mais calóricos e por serem mais agradáveis e atrativos ao paladar, seu consumo será mais elevado, tendo em vista que qualquer alimento, inclusive os industrializados, se consumido em excesso, podem levar ao ganho de peso, resultando no sobrepeso ou na obesidade. 

O excesso de gordura corporal pode desencadear uma série de modificações e prejuízos ao metabolismo, aumentando o risco em desenvolver diabetes, pressão alta e problemas cardiovasculares na infância ou até mesmo ao longo da vida. 

A alimentação na infância vai determinar como será a saúde durante o crescimento e a vida adulta. Muitas alergias alimentares que são desenvolvidas ao longo da vida, se dão pela alimentação incorreta na infância, por exemplo. As crianças por serem mais vulneráveis são induzidas pelas mídias sociais e influenciadas pelas pessoas do seu convívio, e como eles não possuem maturidade o suficiente para distinguir e entender os problemas, é importante supervisionar e influenciá-los a terem uma alimentação mais saudável, natural e com alimentos que passam pelo mínimo de processos possíveis.  

Os filhos são o reflexo dos pais e, por isso, se você deseja que ele possua bons hábitos alimentares é necessário que haja uma educação nutricional e um comportamento alimentar adequado, visando moldar e se tornar um exemplo dentro e fora de casa. Faça uma introdução alimentar adequada, se planeje, se organize e instrua desde cedo sobre os benefícios da alimentação saudável de forma lúdica e simples, pois isso fará com que ele crie autonomia e faça boas escolhas. 

Mirelle Marques

Mirelle Marques

Mirelle é Nutricionista formada em 2018, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Atua com atendimento nutricional focado em emagrecimento, qualidade de vida e melhora da performance esportiva. É apaixonada pela área da saúde, esportes e alimentação.
Clude ©  2022. Todos os direitos reservados.