A tabela de preços nas farmácias é determinada por diversos fatores que, em conjunto, formam o preço final dos medicamentos que adquirimos todos os dias. Infelizmente, muitas vezes, os remédios possuem custos altíssimos, pois, até que cheguem ao balcão das farmácias, passam por diversas etapas e entregam lucros para outras partes da fabricação e distribuição.

Com isso, a tabela de preços nas farmácias segue uma estratégia, de modo que, ao mesmo tempo em que eles ficam competitivos, a empresa também obtém sua parcela nos lucros com a venda. Além dessa série de questões, um dos fatores determinantes para o preço dos medicamentos é o reajuste realizado anualmente pela indústria farmacêutica.

Veja, a seguir, tudo o que você precisa saber sobre como é feita a tabela de preços de medicamentos nas farmácias.

Veja ainda: O que você precisa saber antes de comprar medicamentos na farmácia

Tabela de preços nas farmácias conforme a CMED

Tradicionalmente, em abril, o preço dos medicamentos é reajustado. A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), vinculada ao Ministério da Saúde, é quem cuida dos preços dos remédios que circulam no mercado. A CMED indica o preço do teto, zela sempre pelos interesses do mercado farmacêutico e, principalmente, pelos interesses do consumidor desse tipo de produto.

Portanto, quando um medicamento sofre um aumento, ele deve estar diretamente vinculado ao teto limite que a CMED estabeleceu dentro do período anual. No ano de 2020, a câmara estabeleceu uma série de diretrizes e possibilitou o aumento no teto de diversos remédios, bem como manteve regulações sobre a comercialização desses medicamentos.

O que é levado em consideração?

Dentro do mercado farmacêutico, são os laboratórios que vendem os medicamentos para as farmácias, mas, até que eles cheguem ao balcão de vendas, é necessário que sejam pagos custos com o seu transporte e tributos que a maioria dos medicamentos possuem. Somente após esse processo, os medicamentos chegam até as farmácias para que possam ser precificados.

Como dito anteriormente, a CMED é quem cuida dos reajustes dos medicamentos. Se não fosse por esse órgão, os laboratórios e as farmácias poderiam colocar os preços que bem entendessem nos remédios.

Dessa forma, o que implica no valor final da tabela de preços das farmácias é:

  • Valor de compra no laboratório;
  • Valor dos tributos;
  • Valor do transporte até a farmácia;
  • Teto estabelecido pela CMED.

Como são feitos os reajustes?

O reajuste feito pela CMED se baseia em diversas questões. A primeira diz respeito às listas em que os medicamentos se encontram: a lista positiva, a negativa e a neutra. Vejamos o que define cada uma delas:

  • Lista positiva: composta por medicamentos isentos de PIS/COFINS;
  • Lista negativa: contém medicamentos em que só a indústria paga o PIS/COFINS;
  • Lista Neutra: possui os medicamentos que têm tributos de acordo com as alíquotas vigentes.

A partir dessas listas, a CMED calcula os reajustes e limita o teto do preço dos medicamentos.

Descontos em medicamentos com o Clude

O Clude é a principal solução do mercado da saúde para quem deseja saber como ter desconto em farmácias. Se você não tem plano de saúde, ou não deseja ter um tão cedo, faça parte do Clude e tenha até 60% de desconto em medicamentos em mais de 26 mil farmácias. O Clude conta com planos familiares e individuais para que você possa fazer a melhor escolha!

Saiba mais: Saiba como conseguir descontos em medicamentos