fevereiro-roxo
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Fevereiro Roxo: saiba mais sobre lúpus, Alzheimer e fibromialgia

Criada em 2014, a campanha “Fevereiro Roxo” visa conscientizar a população sobre as doenças crônicas lúpus, Alzheimer e fibromialgia, que apesar de não possuírem cura, existem tratamentos eficazes e que possibilitam aos pacientes uma melhor qualidade de vida. 

Os sintomas são um dos maiores impeditivos para o diagnóstico precoce, pois em alguns casos, a manifestação acontece apenas quando seu estado já está mais avançado. Com o apoio da Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM), a campanha visa também informar sobre a necessidade de descobrir a doença em seu estado inicial, para facilitar e ajudar no tratamento.

A seguir, conheça um pouco mais sobre as doenças que englobam o Fevereiro Roxo. 

Lúpus

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), conhecido apenas como lúpus, é uma doença inflamatória autoimune não contagiosa. Ela ocorre devido a um desequilíbrio no sistema imunológico, sendo de manifestação cutânea, que atinge a pele com manchas, ou de forma sistemática, onde um ou mais órgãos internos como rins e cérebro são acometidos. 

Como não há exames específicos para fazer o rastreamento da doença, o hemograma completo, uma biópsia renal e a radiografia do tórax podem auxiliar na identificação de possíveis sinais da doença. 

Alzheimer

Para o Ministério da Saúde, a Doença de Alzheimer (DA) é caracterizada como um transtorno neurodegenerativo progressivo que se manifesta devido à deterioração cognitiva e de memória. A doença é responsável por mais da metade dos casos de demências no país. 

A perda de memória recente é o sintoma mais comum, mas devido a sua progressão, causa também: irritabilidade, falhas de linguagem e a perda de memória remota (fatos antigos).

O tratamento de Alzheimer dependerá do estágio da doença, sendo possível tratar e acompanhar seu desenvolvimento com um psiquiatra, geriatra e neurologista, para assim, amenizar os distúrbios causados pela doença, propiciando uma redução em sua evolução.

Fibromialgia

É uma síndrome que, em sua maioria, afeta mulheres entre os 30 e 60 anos. É conhecida pela dor generalizada crônica, que dura mais de três meses, mas não apresenta evidências de inflamação nos locais da dor. A doença causa dificuldades cognitivas, como problema de concentração e perda de memória, além de fadiga, distúrbios de humor, dores nas mãos, insônia, ansiedade e até mesmo depressão

Seu diagnóstico é dificultado devido aos sintomas parecidos com mal-estar comum, porém, é necessário a realização de exames clínicos e estudo do histórico do paciente para identificar a doença. A fibromialgia pode acometer também pacientes que possuem doenças reumáticas, como artrite reumatoide e lúpus. 

No caso da fibromialgia, o tratamento mais recomendado é a prática de exercício aeróbico, que movimenta todo o corpo e acelera os batimentos cardíacos. As medicações também podem ser utilizadas para a diminuição da dor e melhora a qualidade do sono. 

Devido à visibilidade da campanha, a população também começa a entender e conhecer melhor os sintomas dessas doenças, ajudando inclusive na busca por profissionais especializados para a realização de um diagnóstico precoce.

Independente da cor de fevereiro, ter informação e conhecimento nunca é demais! Peça sempre ajuda de um especialista ao perceber qualquer sintoma. Isso é um grande diferencial e pode ajudar no tratamento de doenças. 

 

*Atenção: As informações existentes no Blog do Clude pretendem apoiar e informar, não substituindo a consulta médica. Não deixe de procurar ajuda profissional.

Juliana Cardoso

Juliana Cardoso

Juliana Cardoso é publicitária, designer e ilustradora nas horas livres. Amante do mundo geek, adora criar e pesquisar sobre os mais diversos assuntos da atualidade. Também não perde um bom reality show, uma boa partida de videogame e memes.
Clude ©  2022. Todos os direitos reservados.