influenza-h3n2
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

H3N2: novo vírus Influenza

O aumento de casos de infecções por Influenza despertou um alerta entre médicos, especialistas e na população geral sobre os riscos e perigos do contágio. Conhecida como a nova cepa do subtipo A e com maior probabilidade de transmissão, o vírus H3N2 está acometendo muitas pessoas, inclusive com casos graves. 

Esse vírus é um dos principais responsáveis pela gripe comum e pelos resfriados, mas como evitar a sua transmissão e quais são os cuidados necessários? 

A seguir, entenda mais sobre o que é Influenza, seus riscos e como você poderá evitar o contágio com medidas já utilizadas. 

O que é a Influenza?

A Influenza é conhecida como uma infecção viral aguda e afeta o sistema respiratório. Com a sua alta taxa de transmissão o contágio é imediato, sendo que o período de incubação do vírus é de, geralmente, dois dias, podendo variar também entre um e quatro dias. 

Atualmente há 3 tipos de vírus Influenza: A, B e C. O tipo A é classificado em subtipos, como o A (H1N1) e o A (H3N2), enquanto o tipo B é dividido entre: Victoria e Yamagata, e mesmo com as suas diferenças genéticas, todos os tipos de Influenza podem causar sintomas parecidos.

O H3N2 surgiu em Hong Kong na década de 1960 e sofreu uma mutação na Austrália, inicialmente identificado em 2008, segundo o Influenza Research Database, um banco de dados global com informações importantes sobre os tipos de vírus da gripe.

Outra característica é que o vírus H3N2 é mais sazonal, pois ele circula todo o ano em diversas regiões, assim como a gripe, porém, a sua maior incidência ocorre nos meses de outono e inverno. 

Como ocorre a transmissão?

O vírus H3N2 é transmitido por meio de gotículas liberadas pelo ar, expelidas ao tossir, espirrar ou falar. A doença pode começar a ser disseminada até um dia antes do início do surgimento de algum sintoma, sendo que o risco de contágio é maior quando há febre. 

Mesmo com a letalidade inferior a de COVID-19, o vírus H3N2 tem mais chances de evoluir para casos graves em grupos de risco, que são: idosos, crianças, pessoas com sistema imunológico comprometido, grávidas e portadores de doenças crônicas. Porém, é possível que a doença ocorra de forma assintomática e sem apresentar nenhuma reação, ou apenas seja identificado sintomas leves. 

Apesar de assintomático, no período de incubação também há transmissão, que no caso de crianças é de 14 dias e adultos é de até sete dias.

Principais sintomas

Os sintomas do vírus H3N2 são variados e sua infecção pode ser assintomática e até partir para formas mais graves. No início há febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza, fadiga e tosse. É fundamental observar e acompanhar o paciente, pois a febre é o sintoma mais importante e possui duração de pelo menos três dias. 

No caso dos sintomas respiratórios como a tosse, torna-se evidente com a progressão da doença, mantendo-se no período de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Em casos mais graves e que apresentam complicações, causa pneumonia e é necessário a internação hospitalar, assim como em casos de COVID-19.

Prevenção

Por ser um vírus respiratório, a prevenção é semelhante à da COVID-19: o uso de máscara em lugares abertos e fechados, distanciamento social, além da higienização correta das mãos. 

Além disso, a vacina é uma das medidas mais importantes para a proteção da população contra o vírus e outras doenças, contribuindo para a redução da sua circulação, além de evitar casos mais sérios, complicações e até mesmo óbitos, especialmente para quem possui algum fator de risco ou comorbidade. 

Recomendação

Essa alta taxa de transmissão e internações devido ao vírus H3N2, pode ter relação com a baixa cobertura vacinal contra a gripe no país, além da flexibilização das medidas de restrição e prevenção adotadas contra a COVID-19.

Por isso, os cuidados devem ser mantidos, além de manter sempre a carteira de vacinação em dia. Ao surgir qualquer sintoma, entre em contato com o nosso time de médicos e enfermeiros através do Ambulatório Virtual para buscar orientações e o tratamento correto.

Juliana Cardoso

Juliana Cardoso

Juliana Cardoso é publicitária, designer e ilustradora nas horas livres. Amante do mundo geek, adora criar e pesquisar sobre os mais diversos assuntos da atualidade. Também não perde um bom reality show, uma boa partida de videogame e memes.
Clude ©  2022. Todos os direitos reservados.