Vivemos em constantes mudanças: emoções e sentimentos a todo vapor. Na maioria das vezes, detalhes, sinais e sentimentos são esquecidos e até mesmo ignorados, seja uma dor física como um cansaço em excesso. Porém, como lidar com toda essa pressão? Como compreender todas essas informações, pedir alguma ajuda e ter um acolhimento necessário? Essa é a grande questão. 

As saúdes emocional e mental estão em grande evidência por diversos fatores. A forma como lidamos com as situações e conflitos que surgem durante a vida podem interferir positivamente e negativamente. O estresse, a ansiedade e a depressão, entre outras doenças, surgem a partir do momento em que há uma perda de controle das nossas próprias emoções por motivos externos, mas principalmente internos. 

Setembro é o mês mundial de prevenção ao suicídio, conhecido também como Setembro Amarelo. Só no Brasil, são registrados cerca de 12 mil suicídios por ano e, mundialmente, são mais de 1 milhão. Deste triste número, cerca de 96,8% dos casos estavam relacionados a algum transtorno mental, como depressão, bipolaridade ou abuso de substâncias. 

Portanto, falar sobre o assunto é fundamental para quebrar os estigmas sociais e orientar a população sobre os riscos das doenças mentais, sendo que ainda há grandes dificuldades para identificar os sinais, ofertar ou acolher as pessoas nesses casos, especialmente pelo preconceito e falta de informação. 

A importância de buscar ajuda 

Cuidar da saúde mental é um fenômeno complexo, repleto de medos, inseguranças e também de incertezas. Além de ser um tema repleto de tabus e preconceitos, na maioria das vezes, não são colocados em pautas do dia a dia, porém, os sintomas se manifestam e pedir ajuda é fundamental. 

“A depressão é um dos indícios que mais leva ao suicídio. Se a pessoa está com algum sintoma ou demonstrações de depressão, já tem que procurar ajuda. […] Nós damos sinais de que alguma coisa não está boa”, afirma Dra. Linda Vieira, psicóloga do Clude

A ajuda surge de diversas maneiras e é importante que haja uma rede de apoio e acolhimento para a pessoa que está passando por qualquer situação difícil. Frases como “não repete mais isso”, “vai dar tudo certo”, “não liga para isso” ou “para de sofrer por bobagens” prejudicam mais do que ajudam. 

Mostrar empatia, ouvir e ser afetuoso pode salvar a vida de quem busca ajuda. Dependendo da gravidade da situação fique atento aos sinais como isolamento, mudança rápida de comportamento ou choro constante, evitando ao máximo deixar a pessoa sozinha. É fundamental também levar à sério qualquer fala ou atitudes que possam ser prejudiciais à saúde da pessoa. 

Em vista disso, buscar ajuda profissional é essencial. Assim, a pessoa encontrará no acompanhamento um intermédio para aliviar e entender suas questões mais profundas, além de ser orientada em casos de tratamento medicamentoso, sempre focando na saúde e necessidades individuais.  

No Clude Help, o time de psicólogos e assistentes sociais darão todo o suporte e acolhimento para cuidar desses casos. Através de ferramentas como monitoramento emocional, sessões de terapia com preços acessíveis e também chat para falar com especialistas em momentos difíceis, a pessoa encontrará ajuda para cuidar melhor da sua saúde mental.

Lives especiais

Para marcar esse mês com conteúdo sobre saúde emocional, física e mental, nosso time de médicos, enfermeiros, psicólogos e personal trainers prepararam lives especiais. Confira a programação e assista através do nosso Instagram clicando aqui.