O teleatendimento médico é um recurso que vem sendo muito utilizado no ramo da medicina e de diversas outras áreas, estando em alta e se fortalecendo por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus. Ele permite que muitas pessoas possam realizar consultas de maneira segura, sem sair de casa e por valores mais acessíveis

Continue a leitura e veja como essa modalidade funciona, como os atendimentos eram realizados antes da pandemia e quais são as projeções para o futuro. Acompanhe!

O que é teleatendimento médico?

O teleatendimento médico nada mais é do que a prática de realizar consultas médicas pela Internet. Tal recurso vem sendo utilizado com muita frequência neste momento de pandemia, já que a recomendação geral é que as pessoas fiquem em casa e só saiam se houver necessidade.

Com isso, muitos profissionais da saúde tiveram que se adaptar a essa nova forma de realizar atendimentos. Assim como na consulta presencial, o paciente precisa ser tratado da melhor maneira possível, a fim de que todos os seus sintomas e queixas sejam analisados. 

Além disso, por meio desse tipo de consulta, é possível analisar exames e prescrever medicamentos, como ocorre presencialmente. Dessa forma, tudo isso leva a crer que o teleatendimento médico veio para ficar e, provavelmente, vai ser o novo “normal” em relação aos atendimentos médicos realizados pelo mundo.

Como era o atendimento médico antes da pandemia de 2020? 

Antes da covid-19, não existia regulamentação para o teleatendimento médico no Brasil. Isso acontecia devido à forte resistência dos Conselhos Regionais de Medicina, que não viam a prática com bons olhos. Porém, alguns hospitais, como o Albert Einstein, já realizavam algumas consultas nessa modalidade.

Com a pandemia, a procura pela teleconsulta médica cresceu muito, e o Conselho Federal de Medicina emitiu um ofício que autoriza o teleatendimento médico provisoriamente. Assim, o Ministério da Saúde editou uma portaria, permitindo esse recurso inclusive para consultas médicas não relacionadas a casos de covid-19.

Existem diversas regras para o teleatendimento médico; as mais importantes são que as receitas e os atestados devem ter um certificado digital e podem ser entregues lacradas aos pacientes por meio da prestação de serviço de entrega de um motoboy.

Além disso, o médico precisa deixar bem claro quais são as limitações do atendimento remoto para que o paciente não tenha qualquer dúvida. Por fim, o pagamento das consultas pode ser acordado entre as duas partes (médico e paciente).

Saiba mais: O papel da telemedicina no atendimento médico em meio à pandemia da covid-19

Projeção de futuro com o atendimento remoto

As projeções para o futuro do atendimento remoto são as melhores possíveis. Ele veio para ficar e melhorar as consultas médicas realizadas presencialmente. No entanto, isso não quer dizer que elas vão ser extintas, mas apenas complementadas nos casos em que a presença do paciente no consultório não é necessária.

É possível que, depois do período de pandemia, as pessoas desejem continuar sendo atendidas virtualmente, de modo que, em breve, isso deverá ser regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina e pelos Conselhos Regionais de Medicina.

Conheça o trabalho do Clude

O Clude é a alternativa ideal para quem não tem plano de saúde. Em uma plataforma extremamente segura e responsiva, o cliente pode adquirir planos individuais ou familiares e aproveitar muitos benefícios, como teleatendimento médico e descontos em medicamentos.